Após fracasso da Rússia, nave da Índia pousa no polo sul da Lua e faz história

É a primeira vez que uma nave pousa nesta região do satélite natural da Terra

Print de tela mostra a nave Chandrayaan-3 se aproximando do solo lunar

ISRO/AFP – 23.08.2023

A agência espacial da Índia divulgou nesta quarta-feira (23)  imagens que sua espaçonave tirou do lado oculto da Lua enquanto se movimentava para pousar no polo sul lunar, apenas alguns dias após o fracasso de um módulo de aterrissagem russo.

A espaçonave Chandrayaan-3, da Organização de Pesquisa Espacial Indiana (ISRO, na sigla em inglês), estava em uma disputa com a Rússia para ser a primeira a pousar no polo sul lunar, uma região cujas crateras sombreadas contêm gelo de água que poderia suportar um futuro assentamento lunar.

VEJA TAMBÉM

Quando a notícia do fracasso da missão russa Luna-25 foi divulgada no domingo (20), a ISRO disse que Chandrayaan-3 estava a caminho de pousar em 23 de agosto.

A missão Chandrayaan — que significa “veículo lunar” em hindi e sânscrito — é a segunda tentativa do país de pousar no polo sul da Lua. Em 2019, a missão Chandrayaan-2 implantou com sucesso um orbitador, mas seu módulo de pouso caiu.

As imagens divulgadas nesta segunda-feira mostraram crateras na superfície da Lua capturadas por uma câmera projetada para ajudar a encontrar um local de pouso seguro para a espaçonave.

A missão lunar da Índia decolou em 14 de julho, e o módulo de aterrissagem do Chandrayaan-3 se separou do propulsor na semana passada.

Foto da região sul da lua feita pela nave da Índia

Foto da região sul da lua feita pela nave da Índia

ISRO/HANDOUT VIA REUTERS – 06.08.2023

“Se a Chandrayaan-3 for bem-sucedida, aumentará a reputação da agência espacial indiana em todo o mundo. Isso mostrará que a Índia está se tornando um player-chave na exploração espacial”, disse Manish Purohit, ex-cientista da ISRO.

A missão também poderá aumentar a reputação da Índia de engenharia espacial com custos competitivos. O Chandrayaan-3 foi lançado com um orçamento de cerca de 6,15 bilhões de rúpias (74 milhões de dólares).

Uma missão bem-sucedida tornará a Índia apenas o quarto país a pousar com sucesso na Lua, depois da antiga União Soviética, Estados Unidos e China.

O programa espacial é motivo de orgulho na Rússia, devido ao lançamento do primeiro satélite em órbita, o Sputnik, o primeiro animal em órbita, com a missão da cadela Laika, e o envio do primeiro homem ao espaço, o cosmonauta Yuri Gagarin. Os Estados Unidos acabaram se impondo na corrida espacial, quando Neil Armstrong chegou à Lua, em 1969. No presente, as operações enfrentam dificuldades de inovação e falta de financiamento, já que Moscou prioriza os gastos militares. Além disso, o setor se viu abalado por escândalos de corrupção e fracassos de lançamento, além da concorrência de Estados Unidos, China e empresas privadas, como a Space X, do bilionário Elon Musk
A Rússia lançou nesta sexta-feira (11) sua primeira missão à Lua em quase 50 anos com o objetivo de dar um novo impulso ao seu programa espacial, que acumulou dificuldades nos últimos tempos e está isolado pelo conflito na Ucrânia. O lançamento do módulo Luna-25 é o primeiro à Lua desde 1976, época em que a então União Soviética estava na vanguarda da conquista espacial. Mas, desde o fim da URSS, Moscou enfrentou uma série de dificuldades, como falta de financiamento e escândalos de corrupção
A sonda de 800 quilos foi lançada por um foguete Soyuz da base espacial de Vostochni, no extremo leste do país, às 2h10 no horário de Moscou (20h10 em Brasília), segundo imagens transmitidas ao vivo pela agência espacial Roscosmos. A aeronave se elevou, deixando para trás uma espessa nuvem de fumaça e chamas que se destacava no céu. O equipamento deve levar cinco dias para chegar à órbita lunar, onde ficará entre três e sete dias para escolher um bom lugar para o pouso na zona do polo sul do satélite
O programa espacial é motivo de orgulho na Rússia, devido ao lançamento do primeiro satélite em órbita, o Sputnik, o primeiro animal em órbita, com a missão da cadela Laika, e o envio do primeiro homem ao espaço, o cosmonauta Yuri Gagarin. Os Estados Unidos acabaram se impondo na corrida espacial, quando Neil Armstrong chegou à Lua, em 1969. No presente, as operações enfrentam dificuldades de inovação e falta de financiamento, já que Moscou prioriza os gastos militares. Além disso, o setor se viu abalado por escândalos de corrupção e fracassos de lançamento, além da concorrência de Estados Unidos, China e empresas privadas, como a Space X, do bilionário Elon Musk
A Rússia lançou nesta sexta-feira (11) sua primeira missão à Lua em quase 50 anos com o objetivo de dar um novo impulso ao seu programa espacial, que acumulou dificuldades nos últimos tempos e está isolado pelo conflito na Ucrânia. O lançamento do módulo Luna-25 é o primeiro à Lua desde 1976, época em que a então União Soviética estava na vanguarda da conquista espacial. Mas, desde o fim da URSS, Moscou enfrentou uma série de dificuldades, como falta de financiamento e escândalos de corrupção

  • Rússia lançou nesta sexta-feira (11) sua primeira missão à Lua em quase 50 anos com o objetivo de dar um novo impulso ao seu programa espacial, que acumulou dificuldades nos últimos tempos e está isolado pelo conflito na Ucrânia. O lançamento do módulo Luna-25 é o primeiro à Lua desde 1976, época em que a então União Soviética estava na vanguarda da conquista espacial. Mas, desde o fim da URSS, Moscou enfrentou uma série de dificuldades, como falta de financiamento e escândalos de corrupçãoHANDOUT/RUSSIAN SPACE AGENCY ROSCOSMOS/AFP – 11.08.2023

Comentários

Rolar para cima