Pindorama promove palestra sobre manejo e técnica no combate a praga no canavial

A Gerência Agrícola da Cooperativa Pindorama promoveu, nesta quarta-feira, 23, a palestra “Solução tecnológica para identificação georreferenciada de grupos de ervas daninhas no canavial a partir do uso de inteligência artificial”. O evento foi ministrado no auditório do Centro Administrativo da empresa.

A palestra, destinada aos associados e corpo técnico da Pindorama, teve o objetivo de aprimorar o combate contra pragas, evitando ou minimizando prejuízos à lavoura de cana-de-açúcar.

Para a realização da palestra, a Pindorama firmou parceria com a Cromai, uma startup pioneira na aplicação de uma tecnologia que identifica padrões em imagens coletadas no campo para oferecer diagnósticos que permitam melhor embasamento na tomada de decisões agronômicas, como no caso da identificação de ervas daninhas na lavoura.

De acordo com o gerente agrícola da Cooperativa Pindorama, Danilo Wanderley, o georreferenciamento vai facilitar a vida do produtor.

“A tecnologia identifica os focos, apontando ervas daninhas de folhas estreitas ou largas, porte alto ou baixo. Ela especifica tudo isso e entrega um mapa apontando a localização exata, se utilizando de diagramas e cores diferentes”, explicou Wanderley.

Ainda segundo Danilo Wanderley, a nova tecnologia vai, sobretudo, promover uma importante redução de gastos com a lavoura.

“A identificação dos focos de ervas daninhas vai possibilitar que concentremos o combate à praga apenas nos locais onde forem identificadas. Ao invés de utilizarmos um trator, por exemplo, num canavial inteiro, o combate será localizado e certeiro através de pulverização com uso de drone, aplicando o produto específico e em quantidade suficiente, economizando tempo, mão de obra e dinheiro”, explicou Wanderley.

Segundo o especialista da Cooperativa Pindorama, as ervas daninhas causam grandes prejuízos à lavoura de cana-de-açúcar.

“São muitas as espécies de ervas daninhas. Para simplificar, as identificamos como sendo de folha estreita e larga. Elas retêm umidade e nutrientes que deveriam ir para a cana. Dependendo da espécie, pode causar a inibição do crescimento da cana, deixando-a raquítica, sem desenvolver”, destacou.

Danilo Wanderley, revelou que a diretoria da Pindorama fechou parceria com a Cromai para georreferenciamento de uma área de 1 mil hectares, contemplando alguns associados com o serviço, com o objetivo de difundir a tecnologia.

Comentários

Rolar para cima